TERRENOS _ Documentário Cênico sobre A Morte na Vida da Grande Cidade

1 fevereiro 2016

terrenos

O documentário TERRENOS _ foi elaborado durante as pesquisas do projeto fomentado pela Lei de Fomento ao Teatro da CMC/SP intitulado,  “A Morte na Vida da Grande Cidade”, no ano de 2015 . A encenação surgiu a partir  do relato de Francisca, documentada de 100 anos (na ocasião com 98 anos). Embora  a história tenha como ponto de partida, um relato individual,  o trabalho  de campo realizado em diversos espaços da cidade de São Paulo, permitiu  extrapolar a história pessoal e questionar teatralmente a morte presente nas dinâmicas sociais.

Além de apresentar ao grande público uma produção estética específica em teatro documentário, com uma dramaturgia inédita elaborada a partir de dados documentais (relatos de moradores do estado de São Paulo, fotografias, notícias de jornal, áudios de entrevistas jornalísticas…), a Cia. Teatro Doc pretende com esse discurso cênico fomentar a discussão de questões urgentes na sociedade contemporânea (fluxo de pessoas, organização social do trabalho, discussão de espaços públicos).

TERRENOS teve o apoio do Governo do Estado de São Paulo, da Secretaria Municipal da Cultura e permaneceu em cartaz entre os meses de junho e julho de 2016 na Oficina Cultural Oswald de Andrade.

TERRENOS integrou o projeto Terra de Deitados, e foi totalmente  adaptada especialmente para os espaços e  cotidiano do Cemitério da Vila Mariana.   A encenação recebeu o nome do próprio projeto: Terra de Deitados,   foram disponibilizadas em  duas temporadas em períodos distintos durante o ano de 2016,  foram gratuitas e contaram com um público numeroso.

Ainda no ano de 2016, TERRENOS foi selecionado para integrar a Mostra do Circuito TUSP(Teatro da Universidade de São Paulo). Nesse projeto, os integrantes da Cia. Teatro Documentário atuaram publicamente, em mesas redondas, workshops,  além de compartilhar a encenação TERRENOS nas cidades de Bauru, Piracicaba , Ribeirão Preto e São Carlos.

SINOPSE

Entre o docudrama e o documentário cênico, a encenação parte do relato de uma senhora de 98 anos, Francisca, sobre as mortes que a acompanharam na decisão por sair do interior e vir para capital. A Cia. Teatro Documentário pretende com esse trabalho trazer para os palcos a possibilidade de denúncias advindas do discurso cênico a partir de comprovação documental.