Pretérito Imperfeito

1 fevereiro 2016

pretérito

pretéritoForam nos cômodos da sede da Casa do Teatro Documentário que, ao final do processo, centralizamos as lembranças de nossa vivência/trajetória pelos quatro cantos da cidade praticada ao longo do Projeto COMO SE PODE BROTAR POESIA NA CASA DA GENTEflyer preterito, inclusive com a participação dos vizinhos da Casa do Teatro Documentário, que em uma determinada cena improvisavam com os atores/documentaristas.

A memória do caminho se “materializou” por meio de um dos nossos documentados em cena, relatando algumas das experiências verbalizadas e atribuindo sentido mais amplo à nossa encenação. Ivanil, na última cena, ratifica a veracidade de todos os encontros que foram contados pelos atores/ documentaristas.

A encenação foi apresentada de forma gratuita e, para convidarmos as pessoas, pensamos em algo que de alguma maneira simbolizasse o encontro e preparasse o espectador para uma experiência dentro de nossa casa. Por meio de agendamento telefônico prévio, pedíamos o endereço da pessoa e enviávamos uma carta contando um pouco do que vivenciamos em nossa trajetória por São Paulo, numa proposta relacionada a um trabalho orientado pela pedagogia do espectador, aproximando-se daqui-lo que Desgranges chama de “ensaio de preparação” (DESGRANGES,2006).