O Tempo e o Cão

13 fevereiro 2019

thumbnail_c4b67805-5757-4441-bc83-157a27579fc3

Falar de memória, buscar memórias, fazer memória: estamos comemorando uma década de trabalho com teatro para e na cidade de São Paulo.
Por meio da encenação do documentário cênico intitulado de O Tempo e o Cão, trabalhamos com o mecanismo da memória manifestado de maneira concreta em cena. Para isso resgatamos e teatralizamos quatro narrativas que versam sobre a convivência dos diferentes habitantes da cidade: as pessoas e os animais. Elas abordam muito além de episódios corriqueiros, mas sim, se constituem em pequenas memórias que revelam afetos e desafetos da própria relação deles (homens e mulheres) com a cidade de São Paulo.
Num momento de esquecimentos e de desvalorização dos estudos de história, propomos uma experiência teatral que se configura na teatralização do próprio ato de lembrar.

Essa encenação começa com a morte de um cão.
Ainda que esse documentário tenha nascido da morte de um cão,
pássaros sobrevoarão.
Outros animais rugirão, inclusive pessoas.
Feridas expostas: coleira, gaiola. São Paulo.